domingo, 3 de maio de 2009

Você é tão legal!!!!


depois de dias tristes veio uma coisa tão boa, tão boa, que até fico puta por ter ficado triste por uns dias... desses presentes da vida, que a gente não sabe nem pq ganhou.
Cantar na Virada Cultural já seria legal por si só. Mas cantar no palco "Toca Raul" seria mais legal ainda... Ser backing do Edy Star? Não poderia ser possível, não comigo. Mas assim foi.
Edy Star é o último Kavernista. Sim. Os outros eram Raul, Sérgio Sampaio e Míriam Batucada. Olha que honra absurda, o que mais eu posso querer?
Ouvi o cd o mes inteiro, teríamos ensaio logo que o Edy chegasse ao Brasil. E ele chegou direto da Espanha, onde mora e trabalha. Sim, aqui nesse país alguns grandes talentos não são reconhecidos nunca. Uma pena que nosso povo seja privado de um talento como o do Edy Star, demos ele de presente para os espanhóis, veja só.
Mas ele chegou e lá fomos ao ensaio. Ali já percebi que o palco ia ficar pequeno. Quem subisse ao palco depois dele ia suar a camisa. Ele é da arte e eu estava lá para me embriagar daquela fonte. Não consegui tirar os olhos dele por um minuto. Todos os seus movimentos, a sua regência, a sua força estavam sendo registrados pelos meus olhos e minha mente. E muito mais pelos meus sentimentos.
Chegou o dia de ver o último kavernista vivo cantar o que gravou em 1971. E agora é ele quem tem 71 anos. Estávamos preocupados com a carga emocional sobre ele, mas ele tava lá, preparadíssimo e muito emocionado, se maquiando e enchendo balões de ar que não foram lançados ao público como ele queria que fosse.
Subimos ao palco e o que vi foi o show mais bonito da minha vida.
Ele cantava, trocava de roupa a cada música, se comunicava com o público e era único. Sua dança, seu jeito de sorrir, de olhar, tava tudo certo. Até suas broncas. Nossa, como ele xinga!
- Agora não caralho! Puta que o pariu, porrrrrraaaa!!!!
O público cantava tudo. O público o recebeu e o respeitou como o grande artista que é. Então o fato de não tê-lo aqui não é o público.
Foi o melhor show do palco do Raul. Os kavernistas devem ter assistido, de onde estiverem. Acho até que eles estavam ali, cantando e dançando com o Edy, afinal esse homem levanta morto, não duvide!
Não sei se agradeço a Deus, ao Raul, a Ivani, ao Kaverna....... não sei.
Só sei que dessas surpresas é que se faz a vida. Dessa adrenalina, desse profissionalismo.
Edy não sabe do seu tamanho pq ele pensa que é como a gente comum. Assim é como ele gostaria que fosse. E isso o torna muito mais apaixonante e maravilhoso.
Obrigada Edy Star, do fundo da minha alma, do meu coração.
Não sei se Todo mundo tá feliz aqui na terra. Mas eu tô.

2 comentários:

dirty work disse...

Você não precisa agradecer ninguém, a não ser ao seu talento, humildade e profissionalismo! Quando as pessoas fazem as coisas de coração, naturalmente são "escolhidas" e todos nós fomos "escolhidos" porque estávamos lá pela arte e por amor. E você não merece nada menos do que isso!!! Beijos, Caverna.

Sabrina disse...

Caraca!!!